Bichos! A arte e a sensibilidade de Suely Castro Mello.

Foi através de um grupo virtual de desenho no facebook que conheci os trabalhos da Suely Castro Mello, algum tempo depois, a própria Suely. Seus desenhos, aquarelas, ilustrações sempre despertavam admiração. O tempo passou, nos conhecemos pessoalmente e um dia decidimos juntar sua arte com o  espaço de exposições da ABRA Pinheiros! Assim nasceu a exposição BICHOS! que agora oferecemos a vocês.

Aqui vai um “teaser”:

28082555895_b697c7e347_o

27467821613_de0bd88972_o27980065222_cc01523cef_o

O texto abaixo, de Inês de Castro, tráz uma ideia dos que as imagens apresentam e o que sugerem, melhor que isso só visitando a exposição que fica até 30/11!

Zôo

O louva-Deus tem olhos desconfiados.

O elefante é majestoso e a gente suspeita: vai sair do papel.

O porco preguiçoso se vira de costas, não quer conversa.

Os galos, em par, desfilam vaidosos e quem os vê fica procurando diferenças, como num joguinho dos sete erros.

Podia ser uma historinha infantil? Podia, sim.

Mas os bichos também poderiam compor a decoração divertida de um parque temático na Disney ou virar estampa das paredes em um restaurante descolado em Amsterdam. Recorrendo à memória, a gente tem certeza de que os bichos lembram as coleções finíssimas das porcelanas Vista Alegre, a mais renomada e antiga da Península Ibérica.

Adotando técnica mista de aquarela em mosaico com alguns recursos da computação, a artista plástica Suely Castro Mello começou a criar seus bichos a partir da provocação de um grupo de desenho do qual ela faz parte. Lagarto! “Façam lagarto”, propôs o grupo. Houve quem trouxesse pedaços de carne, mas no pensamento brincalhão da avó do Thiago e do Pedro, surgiu o bichinho que se arrasta no meio das pedras em dias de sol. Seu lagarto seria o primeiro bicho da série que abriria as portas para um desfile de outros quadrupedes, pássaros, invertebrados, moluscos e até amedrontantes peçonhentos como o escorpião: “mas não precisa ficar com medo porque, como a gente diz no interior, os galos também servem para comer os escorpiões”, diz a Suely, que vive em São Paulo mas cresceu em Limeira, a terra da laranja que também ajudou a inspirar os bichos.

“Minha idéia inicial era usar os bichos para compor um livro de histórias infantis, desses que só têm desenhos e a gente vai inventando a narrativa para entreter as crianças. Pensei que também poderia estruturar uma dobradura, tipo origami japonês, para brincar com meus netos. Então, comecei a mostrar aos amigos, pedir sugestões e resolvi montar uma exposição, com o livro”.

Formada em desenho industrial, Suely nunca encarou o desenho como profissão: “o desenho ocupa o espaço da espiritualidade na minha vida, é meu lazer, meu passatempo, minha viagem particular, um alimento que eu experimentei em 1983 e nunca mais deixei de saborear”.

Autora de uma série de aquarelas de árvores, outra só de peixes, e uma com movimentos surpreendentes de mãos, agora Suely coloca os dois pés no mundo animal concreto com seus bichinhos e bichões de mosaicos aquarelados. Lesma, borboleta, porco, tatu, peixe, elefante, coruja, caranguejo, tartaruga e o besouro ganharam vida e movimento sobre o nobre papel alemão Hahnemühle.” Inês de Castro

convite

Muito além da tinta!

 

paper-towel

De Matisse a Beatriz Milhazes, de Klint a Vick Muniz, Jasper Johns a… todo mundo! Colagem e Texturas são experiências expressivas tão valiosas quanto a própria tinta!

Nada mais instigantes que abordar um material cujo resultado não será óbvio. Foi pensando nisso que propusemos para Janeiro/2016, dentro da programação de férias,  a Oficina de Texturas e Colagem Criativa – com Melina Furquim!

Ao longo dos cursos de pintura o aluno experimenta as tintas acrílicas, óleo, aquarela, define e aprimora seu estilo. Nesta oficina, nosso objetivo é provocá-lo a seguir novas experiências que vão muito além da tinta: sal, areia, pigmentos, carvão, massa acrílica, tecidos, botões, papéis – os mais variados, linhas, tramas e o que mais interessar serão os personagens que darão cor e forma às suas criações.

Só para provocar o bichinho criador que existe dentro de você, veja que os mais renomados artistas já se deixaram conquistar por esses materiais, digamos, alternativos!

klint and I

“Klint e eu” de Beatriz Milhazes, onde a nossa querida dama barroca da arte contemporânea homenageia o grande mestre da colagem; Gustav Klint!

klint_bacio

O Beijo – Gustav Klint – seguramente uma de suas obras mais conhecidas! O barroco austríaco.

henri-matisse-blue-nude-ii.26793513_std

Do barroco para as formas puras de Matisse com sua colagem de papel pintado com gouache.

1983, Racing Thoughts, Jasper Johns

Racing Thoughts, de Jasper Johns.

29893-r_i_p_robert_rauschenberg_1925_2008_familiar_work

Robert Rauschemberg – retratando seu próprio tempo.

tumblr_no7h0nkd1y1r2z03ro1_1280

A colagem aplicada a um editorial de moda.

A releitura de Vick Muniz sobre a obra “summer in the city” de Edward Hopper!

E, por fim, a reinterpretação da obra de K. Ruseckas “The Reaper Girl”,  por Agne Kisonaite, que ganhou o nome de “Modern Lithuanian”. Veja as etapas do trabalho:

agne-kisonaite-sorting-pieces-of-paper

agne-kisonaite-clipping-pieces-to-collage

modern-lithuanian-collage

Agne Kisonaite Modern-Lithuanian

agne-kisonaite-with-modern-lithuanian

E aí? Gostou? Então venha experimentar conosco!

De 26 a 29/01 – das 14h às 17h – inscrições e mais informações pelo email pinheiros@abra.com.br ou pelo tel. 36240927

 

Visual Merchandising – como anda a sua vitrine?

Workshop c/ Regina Parpineli

Uma atração irresistível, é essa a sensação que uma vitrine deve provocar. Ela pode expor o produto ou o conceito da marca, mas ela não pode deixar o cliente indiferente!

window-shopping

Para quem assistiu à deliciosa série Mr. Selfridge (Netflix), a afirmação acima não é nenhuma novidade. O nascimento das lojas de departamentos Selfridge em Londres estabeleceu padrões de atendimento e fez nascer o conceito da “experiência da compra” e a vitrine, sem dúvida alguma, era a menina dos olhos do astuto Mr. Selfridge. Já lá se vão mais de 100 anos e embora, a internet venha nos proporcionando novas oportunidades de consumo, a vitrine ainda é um chamariz.

Mr.Selfridge      mr-selfridge--a

“Como criar Projetos para Vitrines”  apresenta as técnicas adotadas para valorização do ponto de venda, as ferramentas para convidar à experiência da compra e fortalecer a marca.

Vitrine Dior

Vitrine Dior

Louis Vuitton - Paris

Louis Vuitton – Paris

Neste workshop haverá abordagem especial para datas comemorativas em razão da proximidade das festas de final de ano, quando há maior concentração de investimento nas vitrines.

Peter Jones Natal

natal-bloomingdales

O exercício de pensar e desenvolver um Projeto de Vitrine em aula, será orientado e acompanhado individualmente com o propósito de produzir uma apresentação de lay-out.

O projeto!

O projeto!

 

Para estudantes ou profissionais das áreas de Arquitetura, Design de Interiores, Moda ou Marketing, para varejistas e pessoas que desejem conhecer mais sobre o assunto.

O workshop “Projetos para Vitrines” será apresentado por Regina Parpineli, sócia do escritório de projetos Store Studio, especializado em Visual Merchandising para o varejo. Com larga experiência na área, atua desde 2005 como profissional de Visual Merchandising para marcas bastante conhecidas, como DocDog, Triton, Ellus e Cavalera, nesta última coordenou o departamento de VM por 6 anos.

Regina Parpineli

Regina Parpineli

A duração será de 8hs no Sábado, 24/10, das 9h às 18h.

O investimento é de R$ 320,00

Mais informações? Fale com a gente:

pinheiros@abra.com.br

tel 36240927

Convite: “Lugares de Estar” Por Luciano Zanette

banner

 “Lugares de Estar”, chama para a reflexão sobre a brevidade da existência e a certeza da finitude.

A ABRA Pinheiros convida a todos para a abertura da Exposição Sábado – 13/Junho às 12h30, no espaço da escola

Aberta para visitação de Seg à Sex das 9h às 21h, Sábados das 9h às 14h até 27/Junho

ABRA – UNIDADE PINHEIROS
Rua Capote Valente, 1332 – (Metrô Sumaré)
Tel: (11) 36240927