Naila Broisler – Prata da Casa!!!

Dedicada, antenada, organizada, objetiva, instigante….. e decidida! Essa são as características de Naila Broisler, nossa aluna querida cujo desenvolvimento pudemos acompanhar de perto, ao longo de 2 anos aqui na ABRA Pinheiros . Vimos nascer o Visite Nossa Casa, apreciamos a sua dedicação e o desenvolvimento dos trabalhos que foram chegando, todos desafiadores, mas ela arremetia aquele narizinho arrebitado e seguia em frente.

Foi puro deleite ler sua coluna no Superela falando sobre o consumismo e qualidade de vida. Reproduzimos abaixo, mas passa lá no Superela para ver que tem muita coisa legal! By the way Naila, eu também gosto de suvenirs!!!

POR QUE CONSUMIMOS TANTO (E O QUE ISSO TEM A VER COM DECORAÇÃO) ?

“Aquele momento em que penso: para tudo. Por que a gente consome tanto? Como isso nos afeta? E o que isso tem a ver com decoração e organização?

São perguntas como essas que norteiam o meu trabalho e me fizeram escrever esse texto, sendo uma forma de me apresentar como a nova colunista do Superela.

Você deve estar se perguntando: ok, mas aonde eu entro nessa história toda? Ou, o que eu tenho a ver com isso? Aí eu te respondo: você tem tudo a ver com isso. Eu também. Todas nós temos. Mas fica tranquila, que eu vou explicar.

Pegue uma xícara de café e vem cá.

Imagino que você, assim como eu, adora uma revistinha de decoração. Olha por horas a fio, babando em um monte de casa linda que faz encher nossos olhos de desejos. O closet dos sonhos, o móvel dos sonhos, a cozinha dos sonhos, a piscina dos sonhos (e se tiver ofurô, melhor ainda). Ou seja, tudo “dos sonhos”.

Agora corta. Voltemos à realidade.

Calma, eu não estou querendo criticar ou dizer que você não mora na sua casa dos sonhos. E que sua casa não é linda. Inclusive, você pode ter tudo isso e muito mais, se quiser. O ponto em que eu quero chegar não é esse.

O ponto é que precisamos valorizar tudo o que já temos em nossos lares, e ter uma relação mais carinhosa com nossas coisas e com o que somos. Reconhecer o quão legal é nossa casa, pode traduzir a nossa história; tudo o que ela nos representa, incluindo os móveis antigos da nossa família e aqueles souvenirs trazidos de viagem (sim, eu gosto de souvenirs, mesmo indo contra ao que muitos blogs de decoração dizem por aí!)

Projeto Visite Nossa Casa

É importante a gente prestar mais atenção em como tudo é vendido hoje, não só os produtos, mas também as receitas da “casa perfeita, vida feliz”. A publicidade e diversos meios de comunicação não estão, em uma maioria, preocupados em te fazer refletir o porquê você precisa consumir isso ou aquilo. Eles querem mais é vender e ponto.

Com certeza você já deve ter comprado algo, assim como eu, e depois se perguntou: mas por que eu comprei mesmo? Isso vale também para roupas, acessórios pessoais, de cozinha, eletros e por aí… E, nesse quesito, é ainda mais importante ficarmos atentas aos bombardeios da publicidade, porque são produtos como esses que tem maior apelo de venda na televisão e nos shoppings.

E é nesse momento que a organização ou a desorganização pode vir a calhar. Pois acabamos correndo o risco de encher nossa casa e nossos armários de tantas coisas, que depois não sabemos mais como organizar para visualizar tudo o que temos. O que pode gerar, portanto, o esquecimento do que já está ali, do que já compramos e assim passamos a não usá-los. E também, você pode querer comprar mais coisas por achar que está precisando de algo que, na verdade, você já tem . Mas não só isso. Passamos a não ter mais espaço para tantos itens; o que faz gerar uma outra necessidade: a de ter um guarda-roupa ou uma cozinha ainda maior, com mais armários e mais espaço, para mais e mais produtos.

Corremos, assim, um outro risco, e ainda pior: de achar que precisamos mudar de casa ou apartamento porque esse lugar que moramos hoje não é mais suficiente para comportar todas as nossas coisas. E isso é muito grave, na minha opinião, pois passamos a condicionar nossas escolhas pelo o que temos e não pelo o que somos e queremos de verdade.

E aí eu te pergunto? Será mesmo necessário um closet de revista, aquela cozinha ou aquela casa que tem mais espaço para coisas do que para pessoas? O que, de fato, representa quem você é, o seu morar, a sua essência?

Fica aqui o convite para a gente repensar nossas prioridades e a forma como consumimos hoje. Que a revista de decoração seja sempre uma fonte de inspiração para nos ajudar a deixar a nossa casa com a nossa cara. E não ao contrário.

Ah, e para terminar, indico o vídeo abaixo para a gente refletir um pouquinho mais. Vale a pena investir mais 10 minutos do seu tempo, se você chegou até aqui e ainda não assistiu.

The Rise of Lowsumerism

Muito sucesso para você Naila!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s